quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Irmã

Desde que você nasceu coleciono uma infinidade de 'desculpas' para lhe entregar.
Muito se fala sobre os  pais ensinarem muito aos filhos, sobre a escola e os 'mais velhos' que agregam em nossa formação. Pouco se fala sobre o quanto irmãos mais novos forjam o caráter dos mais velhos.
Alguns destes pedidos de desculpas já lhe entreguei. Outros hei de verbalizar ainda. Tantos ainda se farão necessários.
Hoje te peço desculpa por não te compreender e acolher em sua maternagem. 
Desculpa por dar gelatina ao Arthur com poucos meses de vida, desculpa por dar uma mamadeira vazia a ele. Desculpa por não te acolher com a notícia de que estava grávida do Léo. Desculpa, porque tudo o que eu disse foi 'mas eu não te entreguei o anticoncepcional?'. Desculpa por rir e fazer piadas do quanto Ravena chora. Desculpa por zombar do apetite do Léo ( que é igual ao nosso quando crianças). Desculpe porque ao invés de sentar ao teu lado para te ouvir desabafar sobre o quão difícil é manter a sanidade com 1, 2, 3 filhos, eu por muitas vezes ouví e fiz comentários maldosos. Desculpe. 
Quando me percebo mãe, logo mais de 2, entendo o quanto falhei em ser rede de apoio; o quanto não enxerguei os desafios do puerpério e da amamentação; o quanto desrespeitei o estilo e ritmo de maternagem que vocês escolheu (consciente da escolha ou não). 
Desculpe. E obrigada por ainda assim me permitir ser parte de toda a tua caminhada e aluna 'nessa longa estrada da vida...'.
Te amo.

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

De 12.04.2016

Um cofre no peito sufoca o sujeito
Bem dentro há morte, da vida e da sorte
Por fora floresce, mas no fundo apodrece
Destino ingrato. Escolhido ou traçado? 
Paixão enganosa teceu armadilha.

Durante essa trilha caminha o rebento
Gorduxo, pelado, suado.

Luz que alumia, traz alegria
Aquece-me o peito, me faz pensar que ainda tem jeito.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Não a chame de amor

Não a chame de 'amor' se você:
- entope a privada e a deixa entupida;
- coloca suas roupas usadas sobre a tampa do cesto de roupas só para não ter o trabalho de abrí-lo;
- encontra a pia limpa e desocupada mas deixa seu prato sujo para ela lavar depois;
- acorda antes que todos e prepara café da manhã só para você;
- deixa o lixo acumulando, e transbordando, mas não o leva para fora;
- diz estar doente demais para dividir as tarefas que elas faz mesmo quando está muito doente.
Se faz isso ou algo parecido, não a chame de 'amor', a chame de empregada.

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Escreví para Zoé, mas é para mim

Nosso corpo, filha, é apenas uma casca. Tão sensível e frágil quanto a casca de um ovo, mas igualmente essencial.
Todos os corpos são lindos, sem demagogia. 
São lindos porque abrigam tanto, e nos permitem tanto. 
Apenas pelo fato de você ter um corpo pude tomá-la em meus braços e te abraçar. Abraçar o amor. Veja que coisa louca: num corpo materializar-se o impalpável.
Meu corpo nutriu o teu, em linda interna e extero gestação. Se um dia você quiser engravidar, sentirá o prazer de ser casa para outro corpo. 

Enquanto te vejo dançar despretensiosamente,  percebo a leveza e liberdade que traz consigo.
Haverá um tempo em que o corpo será o foco das atenções, como algo que precisa ser aprovado pela sociedade, seguir padrões, pesar e medir determinados números e vestir o que alguém diz ser o certo. Não caia nessa! Pese e vista o que tiver vontade e o que permitir liberdade a seu ser, expresso no seu corpo.
Nunca permita que outros corpos toquem o teu sem tua permissão e querer. Nunca.
Chegará o dia em que teu corpo abrigará outro, mas não numa gestação.
Serão dois corpos, nus, tão juntos um do outro que serão quase um. Provavelmente, quando isso acontecer, seus corações e mentes já serão um só a algum tempo.
Os corpos mudam e mudarão. Independente de filhos, o peso aumentará, as estrias e celulites chegarão, haverá flacidez, manchas na pele e cabelos brancos. Mas não se desespere! São marcas e sinais de tudo o que já viveu. Alguns dias serão mais fáceis de aceitar as mudanças, outros mais difíceis, mas nunca haverá um corpo igual ao outro, igual ao teu. 
Um dia nosso corpo casca chega ao limite e sucumbe. E tudo bem. Aproveitá-lo enquanto há tempo faz o fim valer a pena.
Seu corpo é apenas uma casca.
Uma casca surpreendentemente linda, refletindo a vida que é você.

domingo, 4 de junho de 2017

O dobro

Nas idas noturnas ao banheiro sempre há um desvio de rota. Caminho um pouco mais e vou para o quarto ao lado. O ritual é sempre o mesmo:
Checo a temperatura, colocando a mão na testa.
Cubro novamente com o lençol que já está embolado.
Beijo a bochecha macia e digo 'te amo'.

Hoje, finalmente, entendí que logo mais serão dois.
Duas testas para conferir a temperatura.
Dois lençóis para arrumar.
Duas bochechas para beijar e dois ouvidos para sussurrar 'te amo'.
Logo haverá o dobro, de choro, de fraldas, de preocupação, de mãos e pés fofinhos, de pescoços cheirosos, de sorrisos sinceros... de amor infinito. 

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Golpe

Você tem razão, foi golpe! Casei-me por interesse.
Interesse em ser feliz, em sair para me divertir sem ter hora para voltar. Me interessava o sexo, a liberdade de dormir e acordar a hora que quisesse ao lado daquele cara barbudo. Interesse em ter meu próprio canto, construir minha família, colecionar histórias engraçadas e momentos bons a serem lembrados.
Não. Não foi por dinheiro que me casei (como você acha que fiz/deveria ter feito). Casei-me com um homem de periferia, que sempre morou de aluguel com os pais. Casei pobre, com um cara pobre que estava desempregado. Casei e fui morar num apartamento de COHAB na periferia. Apartamento COMPRADO. Nosso apartamento. Reformado e consertado pelas mãos deste homem. Isso foi puro interesse. Casei porque estava interessada neste homem de nível superior que, para sustentar a casa e não deixar nada faltar, trabalhou de auxiliar de pedreiro.
O que te incomoda é o fato de eu ter casado pelos 'meus interesses' e não pelos teus, que são efêmeros e vazios.
Minhas roupas são surradas e algumas rasgadas, não são sempre novas como as tuas e isso te incomoda. Incomoda porque você se preocupa com o que os outros pensam e não com o que eu penso sobre a minha vida e sobre meus valores do que realmente é importante e necessário para viver.
Você faz campanha pró impeachment do homem com quem casei, me julgando por tê-lo escolhido ao invés de escolher a tua ordem.
Então SIM, foi golpe. Foi um golpe no seu ego a minha casa, a minha família e o meu casamento não cederem as tuas vontades.
Golpe foi o que meu casamento sofreu diante de suas intromissões.
E é um golpe para mim enxergar e admitir tudo isso.

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Ecos

'Que tipo de mãe envenena o próprio filho?'
'Se é para fazer com má vontade deixa que eu faço'
'Acabou o pouco de educação que ainda tinha'

quarta-feira, 31 de maio de 2017

RIP

Nasceu para ser feliz, mas casou-se. E morreu de tristeza.

terça-feira, 30 de maio de 2017

Ela

Ela era sensível e sonhadora. Vivia com pés e cabeça na Lua.
Sempre disposta a se doar em grandes proporções por/ao próximo. E quase nunca era retribuída na mesma medida.
Acreditava no amor.
Mergulhava profundo nas relações, apaixonada e devota. Era ela.
Ela.
Era.
Foi...

quinta-feira, 18 de maio de 2017

ERROR!!!

1. Casar
2. Gestar
3. Voltar
4. Gestar
5. Estar viva